A crise financeira não atingiu com força o mercado de beleza, pois as consumidoras brasileiras não abrem mão de comprar produtos para cabelo e para o rosto.